Comunicação corporativa: 4 dicas para ter credibilidade e transparência

Comunicação corporativa: 4 dicas para ter credibilidade e transparência

Vender não é mais como antigamente. Hoje, o desafio é maior. Todo profissional de marketing sabe disso. Porém, com certeza não é impossível. Existem ainda mais consumidores no mundo do que antes. Só é preciso elaborar um bom plano de comunicação corporativa para ter credibilidade, transparência e, finalmente, aumentar as vendas.

Pensando na importância do assunto, reunimos algumas dicas para você elaborar um bom plano de comunicação corporativa.

1. Evite rumores e fofocas
Seth Godin, autor de diversos best-sellers sobre empreendedorismo,  explica que estamos vivendo uma era de congestionamento de informações e que para uma empresa conseguir captar a atenção — tanto de seus clientes internos quanto dos externos — é necessário executar um processo de comunicação relevante, customizado e antecipado.

Sem dúvidas, o congestionamento de informações está por toda a parte. De acordo com Philip Kotler, guru mundial de marketing, os consumidores têm hoje a sensação de que a informação está onipresente e não mais escassa, como em algumas épocas da humanidade.

Elas estão, desde nas populares redes sociais utilizadas por potenciais clientes, até nos corredores das empresas. Neste último caso, o desafio é ainda maior.

Competir com a “rádio-peão” é um obstáculo que nem todas as empresas conseguem superar. Isso porque muitas vezes a comunicação informal tem uma velocidade exponencial e ganha a atenção do time com maior facilidade. Afinal, é o próprio colega de trabalho que está repassando uma informação.

Nesse contexto, Kotler ainda afirma que o processo de comunicação está se tornando cada vez mais horizontal e menos vertical. Isso significa que consumidores acreditam mais em outros consumidores do que propriamente na empresa ou em especialistas.

E, com certeza, esse raciocínio se aplica também aos corredores de uma organização. Funcionários confiam mais em outros similares do que na própria empresa ou especialistas.

Porém, esse contexto de transmissão de informação não oficial fez surgir o que chamamos de fake news. A consequência disso é a geração de rumores e boatos por toda a parte e sem o controle da empresa.

Mas, sabendo da fragilidade dessas informações não oficiais, por que as pessoas ainda acreditam nelas? Afinal, não é tão mais lógico confiar em uma informação oficial e ratificada? Isso é a consequência da falta de alinhamento entre promessa e entrega.

2. Alinhe promessa e entrega
Infelizmente, ainda de acordo com Kotler, essa desconfiança é consequência do trabalho exagerado dos profissionais de marketing. Durante um bom tempo, e vergonhosamente até hoje, os trabalhos desses profissionais se distanciam da realidade. Um exemplo de como essa situação chegou longe é a campanha da rede internacional de fast food,  Mc Donald’s.

Símbolo de propagar uma imagem que não está alinhada com a entrega do restaurante para o mercado, a principal marca de hambúrgueres do mundo executou uma campanha mostrando os bastidores de suas campanhas. No projeto, a marca mostra o porquê de as imagens aparentarem ser mais do que o hambúrguer realmente são, numa tentativa de reconquistar a confiança do mercado.

No entanto, não é apenas a marca de fast food que insiste em usar uma grande hipérbole em suas campanhas. Essa cultura está espalhada em todos os departamentos de marketing do mundo. E, para reconquistar a confiança do consumidor em um cenário em que o público está desconfiado, desacreditado e até mesmo cético, é preciso trabalhar com grande alinhamento.

É necessário cumprir as promessas feitas para o público, prometer apenas aquilo que a organização consegue entregar e mostrar que a marca é diferente das demais que insistem em aplicar o exagero.

3. Torne a comunicação corporativa uma via de mão dupla
Levando em consideração os dizeres de Kotler no livro Marketing 3.0, além da visão de mundo de qualquer pessoa, é possível perceber que o consumidor ganhou voz. Aliás, até uma voz maior do que a própria marca.

Hoje, o consumidor e a marca têm relativamente o mesmo poder de comunicação. Com a aplicação de tecnologia, o lançamento de aplicativos de comunicação, o surgimento e aprimoramento de redes sociais e com o que Philip Kotler chama de marketing interativo, não dá mais para pensar em um processo de comunicação sem envolver o consumidor na sua construção.

Para elaborar um bom plano de comunicação corporativa é necessário analisar como o consumidor vai reagir e interagir com o processo. Além disso, ao invés de a empresa tomar uma atitude autoritária, como apagar os comentários e avaliações negativas das páginas, é necessário trabalhar de mãos dadas com o consumidor.

Isso significa dar voz ao público, atendê-los de forma alinhada às suas expectativas e mostrar a eles que podem, sim, se comunicar com a empresa. Uma comunicação de via dupla não é mais diferencial, é uma obrigação para qualquer empresa que quer se manter relevante.

4. Engaje seus colaboradores
Philip Kotler indica que foram inseridas algumas disciplinas como gestão do cliente, gestão de contas, gestão do produto, segmentação, entre outras, nas atividades de marketing. No entanto, se fossem adicionar mais alguma, com certeza seria o engajamento de colaboradores.

Há um ditado popular que explicita que ninguém consegue vender algo que ainda não comprou. Pelo menos a ideia deve ser comprada. E qualquer pessoa que já foi a alguma loja e saiu sem comprar nada tem certeza disso.

Colaboradores desmotivados, e que não acreditam no produto que a empresa está oferecendo para o mercado, tendem a não convencer o público sobre o valor da empresa.

Então, imagine: dentro de um contexto de congestionamento de informações já é difícil conquistar a atenção de um potencial cliente. Quando conquistada, ele está desconfiado e cético devido as ações de marketing com que teve contato anteriormente. No momento em que sua organização consegue quebrar essa barreira, ele tem contato com profissionais desmotivados e desengajados.

Sem dúvidas, de nada vai adiantar grandes investimentos em marketing se o time interno não está comprando a ideia. É necessário realizar ações para promover o relacionamento deles para com os produtos e serviços oferecidos pela empresa.

Como você pode ver neste post, a comunicação corporativa é um fator de extrema importância para o crescimento da empresa, já que ela é responsável pela percepção dos colaboradores, clientes e demais stakeholders têm de uma marca. Então, o que você está esperando para começar a investir mais nela?l

(Fonte: Partners) 

Lista de notícias

Contato