Comunicação corporativa exige transparência, avalia especialista

Comunicação corporativa exige transparência, avalia especialista

Vender uma imagem que não condiz com a realidade da empresa pode ser "tiro no pé". Mesmo com diversos avanços pelos quais o mercado passou nos últimos anos, zelar pela imagem do cliente permanece como prioridade

Mesmo diante de sucessivos avanços no mercado de comunicação corporativa, o jornalista Marcos André Borges, o "M" da VSM Comunicação, avalia que o papel do segmento permaneceu o mesmo: zelar pela reputação dos clientes. "O maior ativo de uma empresa pública, privada, ou de indivíduos é a reputação. Então, ao investir em comunicação corporativa, você está investindo na sua reputação, que é o seu bem mais valioso", ele diz.

Ele foi testemunha de grandes mudanças no setor ao longo dos últimos 30 anos, tanto no mercado local como nacional. Grandes marcas deixaram de existir, novos segmentos surgiram e a maneira como empresas e clientes passaram a se relacionar mudou drasticamente. A alta capilaridade das redes sociais deu voz ao consumidor, criando novas atribuições para as companhias de comunicação corporativa. "O que eu vejo de mais relevante é a necessidade cada vez maior de que a comunicação seja verdadeira, transparente, porque nos dias de hoje é quase impossível você vender uma imagem que não condiz com a realidade", aponta.

Plataformas digitais
Para os próximos anos, o jornalista acredita que a tendência do setor é focar no mundo digital, buscando agir com rapidez. "Não dá para fugir disso e quem não se adaptar terá cada vez mais dificuldade de se manter no mercado", alerta. "Quando a gente começou, não existia internet. Agora, a gente pode monitorar em tempo real se a nossa estratégia está funcionando e temos a chance de ajustar caso seja necessário", ressalta.

Desde 1989, quando começou sua atuação no mercado cearense, a VSM passou por profundas transformações tecnológicas. Nesse período, a empresa teve o desafio de ampliar sua participação no mercado. "A gente passou por muitas oscilações na economia, na política, o que acaba dificultando a manutenção da atividade e o crescimento das empresas", diz Marcos André.

Mas uma das grandes apostas da empresa para se destacar no setor foi o investimento em comunicação integrada. "A gente procurou sempre estar de olho nas tendências de mercado, e a comunicação 360 realmente veio para ficar", aponta. Segundo ele, no entanto, ao mesmo tempo em que as novas tecnologias de comunicação aproximaram as empresas dos consumidores, a instantaneidade dessa relação criou aspectos negativos.

"Hoje, todo mundo é formador de opinião, o que foi uma grande mudança que ocorreu nesses últimos 30 anos",argumenta. "Uma crise pode eclodir a partir do smartphone e, às vezes, a crise começa dentro das próprias empresas".

Embora considere crucial a presença nos meios digitais, o diretor da VSM diz que não basta apenas estar presente no mundo online, "é preciso pensar nos serviços, o que será oferecido ao consumidor. É preciso mudança no DNA das empresas".

Crescimento
Para marcar a celebração, a agência realiza palestra com o secretário do Tesouro Nacional, o economista Mansueto Almeida, sobre "Ajuste Fiscal e Retomada do Crescimento". O evento será realizado no dia 13 de maio, às 18h30, na Assembleia Legislativa.

(Fonte: Diário do Nordeste)


Lista de notícias

Contato