A Empresa

A missão da ADCom Comunicação Empresarial é criar, consolidar, fortalecer e valorizar a imagem e reputação de empresas, instituições e profissionais junto a seu público alvo e à sociedade, por meio de comunicação integrada. Nosso trabalho tem como meta aumentar o encantamento pela marca, tornando o consumidor fã dela e, também, um disseminador de seu nome. Esta paixão possibilita à empresa praticar valores mais justos e lucrativos. Integramos distintas formas de comunicação para geramos maior visibilidade e transformarmos, de forma moderna e antenada, o assessorado em referência no seu segmento para que seu público fique cada vez mais encantado. 

Serviços

  • Relacionamento com a Imprensa

    O Relacionamento com a Imprensa, conhecido como Assessoria de Imprensa, visa dar ênfase ao envio de informações sobre o cliente à mídia impressa, eletrônica e on line para que ele se transforme em fonte em matérias jornalísticas. Esta ação agrega valor, aumenta a reputação e lembrança do nome de forma direta e indireta, atingindo diferentes públicos de interesse, de forma maciça e mais abrangente.
  • Publicações

    Desenvolvimento de publicações digitais ou impressas (jornais, revistas, newsletters, material publicitário, entre outros) com o objetivo de valorizar, institucionalmente, o cliente, atingindo e se relacionando com o público alvo, abrindo o diálogo e levando a ele informações de valor e interesse. 
  • Geração de Conteúdos

    Desenvolvemos todos os tipos de conteúdos para os mais diferentes fins. São eles: matéria jornalística, livro, blog, rede social, redação publicitária, release, newsletter, revista, jornal, sites, portais, entre outros. São textos, fotos, vídeos, podcasts (áudios), com o conteúdo pertinente àquele meio e ao público ao qual se destina. Fazemos geralmente um "cross media", onde um meio complementa o outro de forma atraente e envolvente. Estamos sempre antenados com as novas tendências e como potencializar seu uso com uma comunicação inteligente, criativa e de resultados.
  • Sites e Portais

    O site do cliente deve ter uma apresentação moderna, dinâmica e ser atualizado constantemente para geração de interesse.

    A ideia é abastecermos continuamente com notícias sobre a empresa e meio de atuação, com artigos assinados pelos diretores, com imagens, gráficos, vídeos, entre outros materiais que gerem interesse e levem informação de qualidade para o internauta.

    Atualizamos também conteúdos estáticos existentes e gerenciamos a contratação de profissionais, por exemplo, entre outras ações de relevância para este item da mais alta relevância para qualquer empresa, seja de que porte for.
  • Redes Sociais

    As redes sociais ganham importância crescente com o acesso cada vez maior de pessoas a elas pelas mais distintas formas, sendo as principais celulares e tablets.

    Por isso, devem ser tratadas com a relevância devida, aumentando o engajamento, informando e formando opinião para consolidação da reputação, bem como valorização da imagem.

    Nossa equipe elabora conteúdo (textos, fotos, vídeos, podcasts), seleciona públicos de interesse, impulsiona publicações com o foco tanto na valorização de imagem e reputação como na reversão de leads para o cliente.

    É importante sempre ser elaborado conteúdo condizente com cada rede pois cada uma delas tem a sua peculiaridade.
  • Prevenção e Gerenciamento de Crise de Imagem

    Quanto custa e quanto tempo leva para se construir um nome no mercado?

    O deslize de um funcionário, o descontentamento de cliente, a má explicação de um fato, a deturpação da informação ou até mesmo alguma fatalidade são fatores que podem arruinar a imagem e a reputação de empresas, profissionais, produtos e instituições.

    A ADCom Comunicação Empresarial, por meio de trabalho contínuo junto ao cliente, pode avaliar, prevenir, antecipar soluções e criar ferramentas específicas para situações potenciais de crise.

    E, se ela estiver instalada, resolvê-la da forma mais adequada.

    Uma crise sempre deixa sequelas graves que, se não forem corretamente trabalhadas, podem ser difíceis de reverter.
    Esta situação é, por si só, muito difícil. Porém, é importante que também se atue forte depois da ocorrência para amenizá-la de maneira substancial.
    O ideal é, desde o início desta queda, manter-se aberto ao diálogo e se mostrar acessível aos questionamentos dos públicos interno e externo, com um discurso ético, honesto e com comunicação acessível a todos.
  • Eventos

    Realizamos a cobertura in loco de eventos tanto próprios como que contem com a participação do cliente.

    É promovida divulgação jornalística pré e pós-evento para mailing de interesse e imprensa, bem como em tempo real, ao vivo, no momento que ocorre, para abastecimento das redes sociais.

    Também preparamos o presskit para a sala de imprensa e, além do apoio jornalístico, disponibilizamo-nos a sugerir ideias para maior valorização destas ações.

    Por isto, é importante que nossa equipe participe desde o momento da concepção para que se possa ter mais atrativos tanto para a imprensa como para o público de interesse. 
  • Treinamentos e Palestras

    A ADCom Comunicação Empresarial ministra palestras e treinamentos sobre o funcionamento da mídia brasileira, como lidar com a imprensa, como se portar em uma entrevista e como se comunicar com os variados públicos de interesse por meio de distintas ferramentas.

Notícias

A busca incessante por notícias da pandemia pode acabar com você

A busca incessante por notícias da pandemia pode acabar com você

O isolamento social imposto como forma de combate à pandemia de covid-19 acabou gerando um novo termo, derivado do inglês doom (desgraça) e scrolling (rolar a tela de um dispositivo eletrônico, como o celular), em um trocadilho com downscrolling (rolar para baixo): vivemos agora tempos de doomscrolling. O ato de procurar incessantemente notícias sobre o alastramento do Sars-CoV-19 pelo mundo para encontrar a desgraça em forma de post.O repórter veterano Mark Barabak, do jornal Los Angeles Times, descreveu o doomscrolling como "uma quantidade excessiva de tempo dedicado à leitura, em dispositivos eletrônicos, e à absorção de notícias distópicas".Um termo similar (doomsurfing) foi cunhado pelo colunista de tecnologia do jornal The New York Times para descrever essa mania quase masoquista de procurar desgraças sobre a pandemia nas redes sociais, principalmente antes de dormir.As redes sociais se tornaram a fonte de informação de toda uma geração e são nelas que o pior vem sendo mostrado: o avanço da pandemia pelo mundo, os protestos antirracistas nos EUA e o antigoverno no Brasil.Multiplicador de ansiedadePara a professora de Comunicação Nicole Allison, da University of Michigan, que estuda mídias sociais, “as pessoas estão vivendo em um momento sem soluções fáceis, um momento com muitos acontecimentos conflitantes em um cenário de rápida mudança.O processamento cognitivo é muito exigido, e não há narrativa abrangente que nos ajude. Isso apenas aumenta o estresse e a ansiedade que as pessoas já estão sentindo”.Em vez de informar (um dos papéis das redes sociais quando usadas de maneira responsável), Twitter, Facebook e Instagram, entre outras plataformas, estão multiplicando a ansiedade em quem passa os dias lendo posts.“Em uma situação como essa, nos envolvemos em comportamentos mais restritos e imediatos, orientados à sobrevivência: estamos no modo de luta ou de fuga. A isso soma-se o fato de muitos estarem sozinhos, trabalhando de casa, sem o contato direto com colegas e amigos que dá sentido à coletividade do dia a dia. O resultado é que temos poucos recursos sociais disponíveis para lidarmos com essa situação", explicou Allison em entrevista ao Wired.O melhor humor na pior horaAlgumas formas de contornar essa angústia foram a criação e o compartilhamento de memes e gírias relacionadas à doença.Entre as gírias, as que mais fazem sucesso são “coronavidiota” (a pessoa que, mesmo com mais de 10 milhões de contaminados e 500 mil mortos, ignora a necessidade de distanciamento social e de quarentena) e "coronnial" (a geração que está sendo concebida durante a quarentena). O termo doomscrolling, porém, não é novo: foi resgatado de um tweet de 2018.A desgraça também vira humor via redes sociais e elas não são tão culpadas assim pela onda de pessimismo e angústia gerada pela propagação do coronavírus. Para o cientista e pesquisador Mesfin Bekalu, da T.H. Chan School of Public Health de Harvard, as redes sociais entregam somente aquilo o que as pessoas querem ver, alimentadas pelos algoritmos de preferências.“Embora muitas publicações sejam sobre coisas ruins, como seres humanos temos uma tendência 'natural' de prestar mais atenção a notícias negativas. Desde a década de 1970, conhecemos a Síndrome do Mundo Mau, a crença de que o mundo é um lugar mais perigoso para se viver do que realmente é, como resultado da exposição a longo prazo a conteúdos relacionados à violência na televisão”, disse o pesquisador em entrevista ao Wired.(Fonte: TecMundo) Saiba Mais

Google Fotos não fará mais backup do WhatsApp e Instagram

Google Fotos não fará mais backup do WhatsApp e Instagram

A Google resolveu desabilitar o backup de imagens e vídeos provenientes de aplicativos de redes sociais e mensageiros no Google Fotos. A decisão parece ser temporária, e tem como objetivo reduzir o tráfego de dados pela internet, enquanto a maioria dos países ainda adota medidas de distanciamento social.Após a pandemia de covid-19, o número de pessoas trabalhando e estudando em casa gerou um expressivo aumento no tráfego de dados, sem contar o aumento no consumo de conteúdo via streaming e no compartilhamento de arquivos por meio das redes sociais e mensageiros instantâneos.A Google entendeu que grande parte desse conteúdo compartilhado não tem relevância significativa para ser armazenado na nuvem. Com a pausa do backup, sobra mais banda de internet para ser utilizada em serviços mais essenciais.Mishaal Rahman, do XDA Developers, contou ao Android Police que o Google Fotos pausou o backup das pastas de inúmeros apps, incluindo:FacebookHeloInstagramLINEMessagesMessengerSnapchatTwitterViberWhatsappA boa notícia é que o conteúdo que foi salvo anteriormente continua intacto. Aliás, se você acha que o conteúdo algum desses apps é essencial para suas necessidades, é possível reabilitar o backup individualmente, para cada app, acessando as configurações do Google Fotos.Essa é mais uma das medidas que as gigantes de tecnologia têm adotado para impedir um colapso da internet mundial, sobretudo, em regiões específicas. Há alguns meses, o YouTube e a Netflix resolveram limitar a resolução de seus streamings, a fim de reduzir o tráfego de dados em alguns países.(Fonte: TecMundo) Saiba Mais

Instagram: como usar o recurso Reels (Cenas) para criar vídeos

Instagram: como usar o recurso Reels (Cenas) para criar vídeos

O Instagram (Android | iOS) disponibilizou para usuários brasileiros o recurso Reels, feito para criar vídeos em formatos similares ao TikTok. É uma substituição do modo "Cenas", que tinha um funcionamento parecido. Os vídeos possuem duração máxima de 15 segundos e podem ser publicados nos Stories e na aba Explorar da rede social.As opções de edição incluem a possibilidade de incluir músicas da biblioteca do Instagram, adicionar efeitos, temporizador e a possibilidade de recortar e juntar diferentes trechos de vídeo em uma só produção. Veja como utilizar o recurso!Instagram: como usar o Reels para criar vídeosPasso 1: abra a câmera para Stories e selecione a opção "Reels";Passo 2: o Reels oferece um menu lateral com quatro opções - "Audio", "Speed", "Effects" e "Timer";Passo 3: em "Audio", o usuário pode escolher qualquer música da biblioteca, assim como nos Stories. É uma opção para quem deseja fazer dublagens ou desafios;Passo 4: a opção "Speed" controla a velocidade da reprodução do vídeo, deixando-o mais lento ou mais rápido;Passo 5: em "Effects", o usuário tem acesso aos mesmos filtros do Stories;Passo 6: "Timer" gera um temporizador para auxiliar na coordenação de cada um dos takes;Passo 7: para gravar, basta pressionar o botão central. Ao concluir um take antes dos 15 segundos, é possível editá-lo selecionando o ícone do canto esquerdo;Passo 8: ao abrir o fragmento do vídeo, o usuário pode apagá-lo, recortá-lo ou simplesmente retornar ao menu;Passo 9: depois de gravar um trecho, uma nova função é disponibilizada, chamada "Align". Cria uma silhueta para que o usuário consiga manter o enquadramento;Passo 10: depois de editar o vídeo, selecione a seta ao lado direito do ícone do Reels para avançar ao compartilhamento. Nessa etapa, é possível desenhar, escrever e utilizar os outros recursos de edição de Stories;Passo 11: escolha as opções para publicar o vídeo.O que achou do recurso? Ainda prefere o TikTok? Deixe sua opinião!(Fonte: Canal Tech) Saiba Mais

Clientes

Contato